Notícia

Final de Ano

segunda, 26 de novembro de 2018
Natal deve movimentar quase R$ 2 bilhões no Paraná

Foto: Pixabay.

As vendas de Natal devem injetar quase R$ 2 bilhões no varejo do Paraná neste ano. No ano passado, a data fez circular R$ 1,9 bilhão e, com a projeção de crescimento entre 3 a 4% nas vendas em 2018, o valor deve passar de R$ 1,95 bilhão, pelo menos. E no próximo fim de semana as vendas devem ganhar mais fôlego, já que na sexta-feira é a data limite para o pagamento da primeira parcela do 13º salário.

O pagamento do benefício coincide com o melhor período de vendas. Segundo pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), em 2017 cerca de 41% das compras de Natal foram realizadas na primeira quinzena de dezembro, ou seja, logo após o pagamento do benefício. O 13º salário deve injetar R$ 12,5 bilhões na economia paranaense neste fim de ano.

No país, a projeção de vendas para o Natal 2018 é de mais de R$ 53,5 bilhões, praticamente R$ 2 bilhões a mais que no ano anterior. Serão 110 milhões de brasileiros indo às compras — no Paraná a estimativa é de 4 milhões de consumidores.

Compras de fim de ano: melhor fazê-las agora

No ano passado, cerca de 800 mil paranaenses deixaram as compras de Natal para as duas últimas semanas antes da data. Na verdade, isso acontece sempre. Boa parcela da população acaba fazendo suas compras "em cima da hora". E o cenário que encontram costuma ser desagradável: lojas cheias, produtos em falta, muitas vezes com preços mais altos e, na hora de passar no caixa, filas "intermináveis".

Por isso, quase todos os especialistas e economistas alertam que fazer as compras com certa antecedência — mas sem deixar de pesquisar — é uma forma de driblar as inconveniências e evitar ou reduzir os estresses nesta época do ano. 

Tradicionalmente, os preços dos produtos para presentes — roupas, brinquedos e utensílios — sobem já em novembro e se mantêm assim até a véspera de Natal. Mas, quem compra com antecedência, encontra maior oferta de produtos, cores, tamanhos. Para economizar, vale o de sempre: pesquisar. E ainda, com o pagamento da primeira parcela do 13º salário, e dinheiro na mão, o consumidor tem poder de negociação ou, ainda, parcelar a compra e diluir o pagamento antes do começo do próximo ano.

Comprar com antecedência também não torna o consumidor refém das duas últimas semanas antes do Natal, quando o desespero já começa a se associar com a correria das festas.

Se a compra for pela internet, mais um motivo para fazê-lo agora, para não correr o risco da encomenda chegar atrasada, já que os prazos dos serviços de entrega vão se afunilando conforme dezembro avança. 

Já quando se trata dos itens da ceia de Natal, acontece o inverso. Quanto mais próximo da data, mais caro ficam os produtos. Investir já em congelados e bebidas é uma atitude sensata, dizem os economistas.

Fonte: Bem Paraná